quinta-feira, 31 de julho de 2008

Matrioskas...

Sim, Matrioskas. Somos assim... seres que vão descobrindo novos seres em si mesmos... vidas dentro de vidas...
A cada passada que damos encerramos uma vida e outra é sobreposta... até a final ser realmente a final... e selar o nosso corpo de forma incontornável.
O que nos devemos perguntar é se até esse momento fomos encerrando vidas que valeram a pena. Quantas destas vidas tiveram saldo positivo...?


PS: desconheço o autor da foto original que entretanto modifiquei a meu contento pois dentro de mim existe uma dessas pequenas vidas ainda em ebulição... que nunca será totalmente selada... até que parta para destinos invisíveis... encerrada na última matrioska... a da libertação...

4 comentários:

viajante disse...

Uma visão muito interessante dumas bonecas que encantam qual um.
E o Venham Mais Cinco atingiu as 100 postagens com a T.Mara e inicia outra centena com a Raquel.

VENHAM MAIS CEM.

e obrigado a todos.

viajante disse...

Errata: qualquer um e não, qual um.

M. disse...

Muito interessante, Raquel. Também faço a pergunta com que acabas o teu texto.

Bichodeconta disse...

Tenho imensas matrioskas, gosto delas ..A primeira foi-me oferecida pelo Dr Manuel Alberto Valente, actual directou~r de uma editora conceituada, na altura estava na editorial presença e dirigiu durante alguns anos a Vida Soviética..Nas suas viagens trazia artesanato que me fascinava..Sua companheira, Vanda Ramos, que infelismente há muito nos deixou, ofereceu-me aquela matrioska..Agora, sempre que os amigos do Leste vão ás suas terras(Paises) PERGUNTAM O QUE QUERO QUE ME TRAGAM , E PEÇO SEMPRE MAIS UMA MATRIOSKA.. TENHO-AS DA ROMÉNIA, DA MOLDÁVIA, DA UKRANEA, DA LITUANEA, E MAIS UMA SÉRIE DELAS, E ESSA ANALOGIA DE QUE SERÁ SEMPRE O DESCOBRIR DE UM SER DENTRO DE OUTRO SER, PARA MIM, COMPLETA-SE COM A CERTEZA DE QUE AFINAL DESCOBRIMOS POR FIM, (AO CHEGAR Á ÚLTIMA) O QUANTO SOMOS PEQUENOS.. GOSTO TANTO DE PASSAR POR AQUI.. UM ABRAÇO, ELL